Priscilla Afonso

Aula 1 (10/03/2017) – Ensaio opcional

Inicialmente, acreditava-se que a transmissão das informações genéticas seguiam um fluxo unidirecional, onde o DNA era transcrito em RNA e este, após determinados eventos, era traduzido em proteína. Hoje sabemos que esse fluxo pode seguir outros caminhos, não necessariamente na ordem sequencial anteriormente proposta; um RNA viral pode ser utilizado como modelo para a síntese de DNA, nem todo RNA é traduzido em proteína e uma sequência de DNA pode produzir mais do que uma proteína. Embora tenha ocorrido um acréscimo no sentido desse fluxo conforme novos estudos com outros organismos foram sendo realizados, o código utilizado para transmissão dessas informações continuaram os mesmos. Isso permitiu, com o avanço de técnicas da biologia molecular, a comparação desses organismos; é possível verificar o grau de parentesco, a hereditariedade e até mesmo traçar hipóteses sobre a evolução das espécies.

Comentários: Darlan Redü
Faltou informar no texto de uma maneira direta qual é o dogma central da biologia molecular. Essa informação deveria vir no começo do texto, direcionando o desenvolvimento do parágrafo. Como exemplificado em aula, seu texto começou com informações históricas sobre a construção desse conhecimento, que não devem vir em primeiro plano. O final do parágrafo traz informações sobre a aplicação desse conhecimento, finalizando a ideia. Particularmente não gosto de frases com muitas vírgulas, por isso tentaria elaborar sua primeira frase retirando algumas informações e as vírgulas.

Aula 2 (17/03/2017) - Ensaio 1

O processo de replicação do DNA é considerado semi-conservativo, onde uma fita mãe dará origem a duas fitas filhas geneticamente idênticas. Tal processo ocorre sempre no sentido 5’-3’, onde uma fita sempre será sintetizada de forma contínua (fita líder) e a outra fita de forma descontínua (fita retardada). Após a abertura da forquilha de replicação vários eventos ocorrem ao mesmo tempo: a polimerização e correção de nucleotídeos, o relaxamento da super torção ocasionada pela abertura da dupla-hélice, a troca de bases de RNA por bases de DNA e a ligação dos fragmentos da fita retardada.
Várias enzimas são empregadas nesse evento e para que ocorra sucesso nesse processo é essencial o correto funcionamento das mesmas. Embora a precisão da enzima DNA polimerase seja alta, e apesar dessa apresentar uma subunidade corretora, é possível que ocorram erros durante a inserção de alguns nucleotídeos, por isso a célula apresenta outros importantes mecanismos de reparo.

Comentários: Victor Calvanese
O texto está muito bom, entretanto alguns pontos podem ser melhorados. A afirmativa "uma fita mãe dará origem a duas fitas filhas geneticamente idênticas" em minha opinião é muito generalista, pois devido a outras implicações, nem sempre serão "duas filhas geneticamente idênticas". Algumas sentenças apresentam mais de um verbo e se tornam muito longas. Alguns (poucos) erros de concordância podem ser observados, p. ex. (na última linha) "é possível que ocorra erros" deve ser "é possível que ocorram erros". Achei também que talvez tenha faltado uma conclusão sobre o que foi proposto.

Aula 3 (24/03/2017) - Ensaio 2

Kimura em 1968, demonstrou, através de análises matemáticas, que a maioria das substituições que acontecem nos nucleotídeos são neutras, não possuindo nenhum significado evolutivo. A teoria neutra da evolução molecular também é aplicada em aminoácidos, mas ocorre em uma menor freqüência, pois nem sempre a alteração de um nucleotídeo interfere na formação do aminoácido.
Ao contrário do que se pensava na época, grande parte dessas substituições não são acarretadas pelo processo de seleção, ou seja, não é devido à uma pressão externa. Através do seu modelo matemático, o autor acredita que o processo que mais explica essas substituições são os eventos estocásticos de deriva genética.

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License